A Motorola passou a pertencer oficialmente à Lenovo. E agora?

Em janeiro, o Google pegou todo mundo de surpresa quando vendeu a Motorola por US$ 2,9 bilhões. A chinesa Lenovo adquiriu a fabricante de celulares para se expandir no setor, mas ainda não era a dona oficial da empresa – isso muda a partir de hoje.

“A Motorola Mobility se tornou parte da família Lenovo de empresas”, diz o presidente Rick Osterloh. Isso significa que a aquisição foi aprovada por órgãos regulatórios de todo o mundo. E agora, o que será da marca Motorola? Pode ficar tranquilo, pois ela não vai sumir:

A icônica marca Motorola vai continuar, assim como as franquias Moto e DROID que impulsionaram nosso crescimento em relação ao ano passado. Continuaremos a focar em atualizações rápidas e no Android puro, e continuamos comprometidos em desenvolver tecnologias para resolver problemas reais dos consumidores.

Inicialmente, os produtos da Motorola devem continuar do jeito que você já conhece. Osterloh nos disse em maio: “nos próximos anos será a mesma coisa; temos nossa estratégia de software e de produtos que não será mudada, ao menos por enquanto”.

Lenovo

A Motorola pode ter um futuro brilhante nas mãos da Lenovo. Como explicamos antes, ela é bem responsável quando põe as mãos nos produtos de outra empresa. Por exemplo, após comprar a divisão de PCs da IBM, a linha ThinkPad de laptops não mudou drasticamente nem deixou de ser ótima. Na verdade, eles vêm consistentemente melhorando nos últimos anos.

E a Lenovo ainda foi além com a linha Yoga, inovando com seus laptops que se dobram em 360 graus. A Motorola pode seguir estes mesmos passos, mantendo a tradição e inovando onde necessário.

Quanto ao software, os dispositivos Android da Lenovo – especialmente os lançados no Ocidente – vêm com poucas modificações no sistema. Ou seja, o foco em Android quase puro não deve sumir.

Por que o Google vendeu a Motorola

Mas por que o Google vendeu a Motorola? Primeiro, porque a criadora do Android estava mais interessada nas patentes da empresa, para se defender na guerra judicial contra Apple e outras. (A Lenovo não levou a maioria das patentes da Motorola, aliás.)

Além disso, a venda pode ser uma forma de o Google se reaproximar das fabricantes que usam Android – especialmente a Samsung. Por fim, a Motorola passou anos sangrando dinheiro, e a estratégia do Google não reverteu isso – mais um motivo para se livrar dela.

Motorola e Lenovo via Re/code

Related Post

Deixe uma resposta